UFC consolida Curitiba como palco de megaeventos

cwb ufc

A realização do UFC 198 em Curitiba consagrou a capital parananense no cenário mundial de eventos esportivos. Essa é a principal avaliação de empresários e autoridades do segmento turístico de Curitiba. Mesmo sem um balanço oficial do impacto econômico do Ultimate na capital paranaense, a opinião quase geral é que, depois de ter sido uma das sedes da Copa do Mundo de 2014, e depois do UFC, as atenções se voltarão ainda mais para a cidade. Houve impacto positivo na ocupação de quartos de hotéis e no movimento em bares.

“O UFC Curitiba caiu do céu para nosso setor de turismo, já que se trata de um dos maiores eventos esportivos do planeta, perdendo em popularidade somente para Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo”, disse o presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo. A previsão da Abrabar para o UFC era de bares com 60% mais público na noite de sábado para acompanhar as lutas da Arena pela televisão.

Segundo Aguayo, nos dias anteriores ao UFC o movimento nos bares foi 15% maior, já por conta do movimento de turistas na cidade atraídos pelo Ultimate. “Portanto, o cenário e a empolgação do evento nos dão a esperança de novos ares e atrações que movimentem a cidade e os nossos estabelecimentos”, falou ele.

Para o presidente do Instituto Municipal de Turismo de Curitiba (IMT), Caíque Ferrante, a realização do UFC aqui fortalece ainda mais a vocação de Curitiba no turismo de eventos. Ele ressalta que, embora o tempo de realização seja menor que a Copa do Mundo, o turista que vem de fora vai pernoitar na cidade. “Na época da Copa, muita gente vinha, assistia o jogo e depois voltava para a sua cidade”, afirma.

Uma prova desse comportamento é o nível de ocupação dos hotéis. Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Paraná (ABIH-PR), a taxa de ocupação média do fim de semana estava em 85% até o fim da semana passada. “E esse pessoal todo que ficou hospedado nos hotéis circulou pela cidade, consumiu produtos e serviços”, conta.

De acordo com o coordenador do Observatório de Turismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR), José Manoel Gandara, metade do público estimado para o UFC em Curitiba — 40 mil pessoas — vem de fora, principalmente de São Paulo e Santa Catarina.

Para Gandara, o maior legado que este tipo de evento deixa é para a imagem da cidade. Mas, claro, tem o legado econômico. O preço do tíquete de entrada do UFC oscilou de R$ 69,50 (meia entrada) até R$ 5.000 (Vip Experience). “A princípio, o expectador do UFC parece mais disposto a gastar com entretenimento, que esgotou todos os ingressos em um curto espaço de tempo”, diz. Gandara relata que um estudo detalhado sobre o impacto econômico e social está sendo realizado, em paralelo ao evento. O resultado deverá ser divulgado na próxima semana.

Linha Turismo circulou com o dobro da frota

Em virtude dos diversos eventos programados em Curitiba no fim de semana, a Urbs, empresa que gerencia o sistema de transporte coletivo urbano, reforçou a frota da Linha Turismo, que tradicionalmente percorre 25 diferentes pontos de interesse em viagens com duração de cerca de duas horas e meia.

A programação do fim de semana em Curitiba incluiu o UFC na Arena da Baixada, no sábado 14, e a Meia Maratona de Inverno, domingo dia 15, além do concurso do INSS, também no dia 15. Todos esses eventos aumentaram o movimento, atraindo para a cidade turistas e “concurseiros”, que também aproveitam para conhecer a cidade.

A frota da Linha Turismo que normalmente circula na cidade é formada por seis ônibus Double-deck, que permitem a visão panorâmica dos locais percorridos. Os ônibus saem a cada 30 minutos da Praça Tiradentes, em frente à Catedral Basílica. No fim de semana, outros seis ônibus circularam, bem como os três ônibus tipo Jardineira, e ainda três ônibus Hibribus para atender toda a demanda.

Ao todo, durante o fim de semana, a Linha Turismo foi atendida por um total de 18 ônibus.

Deixe uma resposta