Dados do setor de eventos de 2019

Dados do setor de eventos de 2019

Últimos dados estatísticos disponíveis sobre o Setor de Eventos no Brasil

O setor de eventos no Brasil cresceu de forma expressiva nos últimos anos, aumentando a sua relevância econômica no que se refere à geração de negócios, emprego, renda e impostos.
O último estudo disponível – Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos no Brasil – realizado em 2013 pela ABEOC, SEBRAE e Universidade Federal Fluminense, revela que o setor cresceu, de 2000 a 2012, aproximadamente 14% ao ano, aumentando a sua participação no PIB do País de 3,1%, em 2001, para 4,32%, em 2013.
Principais dados desse estudo de 2013:
– 4,32% do PIB – 60 mil empresas, em toda a cadeia de serviços – 1 milhão e 893 mil empregos diretos e terceirizados – R$ 209,2 bilhões de faturamento, em toda a cadeia de serviços – R$ 48 bilhões em impostos – 590 mil eventos realizados – 203 milhões de participantes nos eventos

Apesar de não existir estudo mais recente, estima-se que o setor de eventos tem crescido em média 6,5% ao ano, no período dede 2013 a 2019.

Informações Técnicas sobre a Pesquisa Atual

Foram obtidas informações de 155 empresas do setor de todo o Brasil. O período de coleta foi de 21 de agosto a 20 de novembro de 2019, através de um questionário estruturado em meio digital. O nível de confiança é de 95%, com intervalo de 2% para cima ou para baxo.
Das 155 empresas respondentes, 81 (52%) são associadas da ABEOC e 74 (48%) empresas não associadas. Cerca de 3 em cada 4 empresas não associadas manifestaram interesse em associarse à ABEOC.

Quanto ao perfil econômico das empresas de eventos

A maioria – 72% – são empresas que estão no regime de tributação SIMPLES ou MEI e 98% das empresas tem faturamento anual até R$ 4,8 milhões. A média de faturamento anual por empresa é de R$ 1.780.000 e possuem 10 pessoas ocupadas, em média. Em cada 10 empresas, oito tem apenas um ou dois sócios e as empresas foram criadas em média há 6,2 anos atrás. Metade das empresas atuam somente no seu Estado ou sua Região e a outra metade atua em todo o Brasil. Do total, 14% das empresas também atuam no exterior.

Quanto ao perfil da gestão da estrutura organizacional da empresa

No gráfico abaixo observa-se que cerca da metade das empresas apresentam indicadores positivos (padrão razoável + padrão superior) quanto a aplicação de melhores práticas de gestão de fornecedores, colaboradores, funções e responsabilidades, normas e padrões e melhoria de produtos e serviços. O destaque positivo foi em missão no qual 73% das empresas tem desempenho razoável e superior. Já em relação a análise de resultados somente 30% das empresas utilizam das melhores práticas de gestão.

Convertendo-se todos os percentuais para uma escala de 0 a 10, verifica-se que as empresas do setor de eventos alcançam a nota de 5,6 quanto autilização de práticas de gestão da estrutura organizacional.
Os dados revelam que há ainda um bom caminho a percorrer para que a grande maioria das empresas de eventos possam alcançar um padrão superior de gestão. Sabemos que essa é uma conquista gradativa e que tem sido estimulada pela ABEOC, através do Selo de Qualidade ABEOC Brasil e de outras iniciativas de capacitação, para que as empresas possam se tornar mais competitivas.

Quanto a Gestão de Clientes

Os dados são bastante positivos quanto a prática de identificar as necessidades e expectativas de clientes, na qual 57% das empresas tem desempenho superior e mais 24% tem desempenho razoável. Os números demonstram que as empresas tem avançado bastante nesse quesito e revela que o mercado bastante competitivo tem exigido essa performance das empresas.
Quanto ao registro e tratamento das reclamações de clientes observa-se que 29% tem padrão razoável e 44% registram padrão superior. Indica que cerca de metade das empresas tem melhorias a realizar nesse importante aspecto de relacionamento com clientes.
Convertendo-se os dois percentuais para uma escala de 0 a 10, verifica-se que o conjunto das empresas do setor de eventos alcançam a nota de 7,7 quanto autilização de práticas de gestão de clientes.

Quanto a Gestão Ambiental e Responsabilidade Social

O gráfico, logo a seguir, demonstra que 58% (nota 5,8 na escala de 0 a 10) das empresas possuem padrão razoável ou padrão superior quanto a identificação e tratamento dos impactos ambientais. Mostra, por outro lado, que há um grande espaço de oportunidades para as empresas melhorarem nesse importante quesito.
A mesma observação aparece quanto a responsabilidade social, na qual 53% (nota 5,3 na escala 0 a 10) das empresas registram desempenho razoável e superior. Há um bom caminho a ser trilhado.

Quanto a Inovação e Novas Tecnologias

Ressalte-se que a grande maioria – 82% das empresas de eventos, conforme gráfico abaixo, estão envidando esforços efetivos de inovação, sendo 45% num padrão aceitável e mais 37% já em padrão superior. Isso é muito importante num setor fortemente impactado pelas mudanças no comportamento das pessoas e no surgimento de novas tecnologias em crescente velocidade.
Não obstante a esses grandes esforços de inovação, verifica-se que algumas tecnologias ainda estão gradativamente sendo utilizadas, com exceção da utilização aceitável e superior de redes sociais por 75% das empresas. As demais tecnologias apresentam indicadores de menor utilização.

As plataformas e aplicativos de gestão – tão importantes para gerenciamento completo das inúmeras atividades na execução de um evento – somente tem padrão razoável e superior em 55% das empresas. Outra constatação de baixa utilização é o CRM – Customer Relationship Management – empregado por 41% das empresas. Outras tecnologias vem sendo gradativamente empregadas como reconhecimento facial e utilização de influenciadores digitais.
Convertendo-se todos os percentuais para uma escala de 0 a 10, verifica-se que as empresas do setor de eventos alcançam a nota de 5,1 quanto autilização de práticas de gestão da inovação e novas tecnologias aplicáveis ao setor.
De qual forma, evidencia-se que as empresas precisam dedicar maiores recursos em inovação e tecnologias para que possam estar mais competitivas num mercado de concorrência tão acirrada.

Principais Dificuldades que as Empresas Enfrentam.

As empresas relatam que a concorrência desleal e injusta (52%) é a maior das dificuldades enfrentadas, seguida das dificuldades de contar com profissionais qualificados (46%) e da carga tributária (46%). Também merecem destaque o excesso de regulamentação e de burocracia por 32% das empresas.

Previsão de faturamento em 2020

Observa-se que 73% das empresas esperam crescimento de faturamento em 2020. É um indíce de confiança empresarial bastante positivo. Em média, as empresas esperam um aumento de 6,15% em suas receitas, contudo merece destaque que 29% das empresas projetam crescer mais de 10%. Esses dados corroboram a expectativa de que o setor de eventos no Brasil tem crescido em torno de 6,5% ao ano, nos anos recentes, mesmo com a crise econômica que o Brasil tem enfrentado.

Previsão do número de pessoas contratadas em 2020

Os dados da pesquisa revelam que 44% pretendem aumentar o número de pessoas contratadas em 2020. Considerando todas as empresas, a média de aumento de contratações é de 4,4%.
Como 73% das empresas esperam aumentar seu faturamento e um percentual menor (44%) aumentar o número de pessoas ocupadas, deduz-se que parte das empresas tem atualmente capacidade ociosa, pois pode aumentar suas atividades com o quadro atual de colaboradores. Com isso, as empresas estarão aumentando a sua produtividade.

Principais Estratégias que as Empresas pretendem adotar para serem mais competitivas

Os dados do gráfico abaixo demonstram que as empresas pretendem concentrar seus esforços em estratégias consistentes com as necessidades de aprimorar a sua gestão, conforme foi verificado nos dados dessa pesquisa sobre as práticas atualmente adotadas, bem como no enfrentamento das suas principais dificuldades no mercado. Por isso que as estratégias informadas pelas empresas são:

1ª) promover a inovação para 56%;

2ª) estabelecer alianças, parcerias e cooperação para 55%,

3ª) investir em novas tecnologias para 54%;

4ª) aumentar a produtividade para 49%;

5ª) melhorar a qualidade dos serviços e produtos para 48%;

6ª) investir mais em internet, redes sociais e comunicação digital para 48%

7ª) investir mais em marketing e promoção comercial.
Essa é a agenda empresarial para se alcançar maior competitividade!

Avaliação do Ministro do Turismo e do Presidente da República

Conforme apresentam os gráficos a seguir a aprovação do Ministro do Turismo em relação ao setor de eventos atinge 61%.  A avaliação do Presidente da República é positiva para 59% das empresas do setor de eventos.

 

Informações adicionais sobre a pesquisa:

Luiz Carlos Barboza – coordenador da pesquisa
E-mail: lcbconsultoria@gmail.com
Telefone/Whatsapp: (34) 99888-2475

 

Fonte: ABEOC BRASIL

Mais Notícias em: ABEOC PR

Fechar Menu